Bastidor (Cinara Marques)Colunas

Coluna Bastidor: Tucanos em Pernambuco se tornaram nanicos em 2018

Por Cinara Marques

Os integrantes do PSDB saem dessas eleições bem diferentes do ar de arrogância e superioridade que deixavam transparecer outrora. Segundo a coluna Diário Político, da colunista Marisa Gibson, Jornal Diário de Pernambuco, o partido teve um desenvoltura de partido nanico no pleito de 2018. Pois é, um quadro bem diferente de dois e quatro anos atrás, quando o líder maior tucano, Aécio Neves, ficou inconformado ao perder a eleição para a presidência da República e resolveu levar os agora ‘tucanos nanicos’ a não aceitarem mais uma derrota para o PT e para a então presidente reeleita, a petista Dilma Rousseff.

A legenda iniciou então uma perseguição à presidente legítima, eleita pelo voto popular, até promoverem junto com parte do parceiro MDB, então comandado pelo ex-deputado Eduardo Cunha e com o aval do vice de Dilma, o hoje presidente Michel Temer, a promoverem em 2016, o impeachment da presidente com direito a comemoração histórica do candidato derrotado ao senado em Pernambuco, o deputado federal Bruno Araújo. Talvez estejam colhendo o que plantaram.

Confira a nota da coluna Diário Politico:

Sequelas Tucanas

Ainda vai levar muito tempo para que os tucanos pernambucanos recuperem a sua autoestima, e já se defende nos bastidores uma refundação do partido no estado. Por falta de pulso da direção, planejamento, organização e de solidariedade dos prefeitos e vereadores da legenda, o PSDB de Pernambuco sai desta eleição como partido nanico. Elegeu uma única deputada estadual (já teve seis) e nenhum federal (já teve três).

O PSDB viu até a recém-tucana Raquel Lyra, abrigada pelo partido após ser descartada no PSB, eleita prefeita de Caruaru e descumprir a regra partidária ditada pela direção nacional, e apoiar deputado estadual e federal de outras legendas. Mas não foi só ela. Muitos outros prefeitos tucanos deram as costas para o partido. Nos bastidores o que se diz é que a eleição de Alessandra Vieira, para a Assembleia, com 45.115 votos, só aconteceu por ela ser esposa de um prefeito que conseguiu que outro colega prefeito o ajudasse na vitória da mulher.

Ao que parece, houve uma completa desorientação partidária. Basta considerar que o único ato de apoio, em Pernambuco, ao candidato a presidente da República, Geraldo Alckmin (PSDB) – um encontro do presidenciável com setores ligados a pessoas com deficiência e que teve repercussão nacional – foi promovido pela ex-deputada Terezinha Nunes, que também não teve sucesso nas urnas. O próprio presidente do partido, o deputado federal Bruno Araújo, não foi eleito para o Senado.

Enfim, os tucanos pernambucanos que nunca chegaram ao poder – governo do estado ou Prefeitura do Recife – ficaram mais distantes ainda. (Coluna Diário Político-Jornal Diário de Pernambuco)

Confira a coluna neste link:  file:///C:/Users/Windows_7/Downloads/31_2018101206185372o7Jtx2.pdf

 

FOTO: REPRODUÇÃO INTERNET

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar