Política

Vereadora Maria Elena chama a atenção da secretária de Saúde de Petrolina sobre demandas que vêm preocupando petrolinenses da cidade e do interior

Cinara Marques – Redação Tribunna

Maria Elena elogiou a saúde municipal, mas cobrou também melhorias do serviço

A vereadora Maria Elena questionou a secretária de Saúde Magnilde Albuquerque que apresentou nesta terça-feira, 6, na Câmara Municipal, o relatório quadrimestral de gestão da pasta em Petrolina-PE, sertão do estado. A vereadora apresentou três pontos que para ela são prioridades.

O primeiro é a ampliação de vagas nos hospitais particulares por meio da regulação do município para pacientes que estão na fila, como os cardíacos e os que precisam de outras cirurgias urgentes, pois existe um convênio da Prefeitura para que esses hospitais particulares recebam essa demanda.

“Muitos estão dando entrada na UPAe que não tem condições de resolver, até porque esse não é o papel desse serviço. Lá se faz os primeiros atendimentos e encaminha para os grandes hospitais e quando os públicos não suprem essa demanda, existe uma lei que aprovamos aqui na Câmara em que o município abre mão de tributos em troca dos hospitais particulares atenderem esses pacientes com cirurgias mais sofisticadas. Precisamos que a secretaria municipal de Saúde resolva essa questão de ampliar as vagas para esse atendimento a essas pessoas”, esclareceu Maria Elena.

Outro encaminhamento da vereadora Maria Elena durante a prestação de contas da secretária Magnilde, foi com relação ao atendimento do Imip no Hospital Dom Malan e que voltou a ter relatos de mortes de mães e bebês.

“Sabemos que são redes independentes, mas o município tem que ter também esse olhar. Nunca tivemos tantos casos de mães e bebês que têm suas vidas comprometidas, por negligência no atendimento la no Hospital Imip. Aí cobramos sistematicamente rapidez na conclusão da maternidade em Petrolina. Não temos hoje uma maternidade municipal”, frisou

E o outro ponto que Maria Elena destacou foi sobre a falta de soro antiofídico na cidade que está com deficiência há anos na rede pública municipal. Elena destacou que  esse é um problema recorrente e há anos que a rede pública do município não oferece o soro antiofídico para combater o veneno, principalmente por picadas de cobra.

“Tem regiões aqui em Petrolina que tem históricos de existência de cobras, principalmente a cascavel e a jararaca, que são venenos extremamente perigosos e que na falta de aplicação do soro no tempo hábil, colocada em risco realmente a vida das pessoas que são picadas. Portanto essas foram as demandas levantadas, sem deixar de ressaltar o papel, os avanços, pois nunca nenhuma gestão que em menos de dois anos, tem muita coisa evoluindo, melhorando”, pontuou a vereadora da bancada governistas na Casa Plínio Amorim.

Maria Elena chamou também a atenção para as filas de exames de alta complexidade que “graças a Deus está sendo muito bem resolvido e outros avanços, mas a gente quer as respostas para as demandas que trouxe aqui. Friso, o município precisa desenvolver políticas para atender, principalmente, o povo do interior que sofre nesse ponto com as picadas de cobras”, concluiu a vereadora Maria Elena de Alencar.

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar