Política

Bem no seu estilo, FBC demonstra otimismo com a retomada da economia no Brasil

Líder do Governo Bolsonaro, senador Fernando Bezerra, do MDB/PE, acredita que crescimento pode voltar com a agenda de reformas que vem sendo implementada

Líder do Governo Bolsonaro, o senador Fernando Bezerra Coelho (FBC), do MDB/PE, acredita que a agenda de reformas implementadas atualmente, possibilitará a retomada do crescimento econômico do Brasil. “Estamos inaugurando uma agenda de reformas no País, que começou pela previdência e que vai promover o equilíbrio das contas públicas e nos permitir encerrar um longo período de estagnação econômica. Estou muito otimista e confiante”, disse o senador.

Conforme FBC, nos próximos dias, o Governo Bolsonaro vai anunciar o pagamento do 13º do Bolsa Família, que será pago até o dia 7 de setembro, “então serão mais recursos liberados para animar o consumo das famílias brasileiras, gerando mais renda e ajudando a ativar a economia”, acrescentou FBC.

O líder do governo no Senado deu a declaração durante solenidade de entrega de duas ambulâncias e um posto de saúde no município de Orobó, Agreste pernambucano. As ações foram frutos de emendas do deputado federal Fernando Filho.

Outra medida citadas por Fernando Bezerra Coelho foi a liberação de R$ 42 bilhões das contas do FGTS, anunciada recentemente pelo governo federal.

“O trabalhador vai poder sacar o seu dinheiro e pagar suas contas, quem sabe fazer um pequeno investimento, e com isso a economia poder chegar ainda nesse ano a um crescimento mais expressivo. Acreditamos que será um crescimento em torno de 1%”, assinalou o líder de Bolsonaro no Senado Federal, acreditando que a partir do próximo ano, esse crescimento fique acima de 2% ou até 3%.

“Com isso nós poderemos gerar mais de dois milhões de novos empregos”, completou Fernando animado com as boas perspectivas governistas para os próximos meses.

Por fim, continuado o seu otimismo peculari, FBC falou da expectativa pela aprovação de um novo Pacto Federativo.

“O governo federal vai propor um novo pacto federativo, isso significa mais Brasil e menos Brasília. Ou seja, o governo federal vai abrir mão de receitas, e transferi-las para estados e municípios. Neste ano, com a chegada dos recursos da cessão onerosa, que é uma área de exploração de petróleo e será vendida por mais de R$ 100 bilhões, o governo já decidiu que R$ 22 bilhões serão destinados a estados e municípios,. o que poderá contribuir para injetar mais recursos no custeio, promovendo uma série de ações voltadas ao atendimento dos munícipes”, concluiu Fernando Bezerra Coelho.

Da Redação

Com ASCOM

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar