ColunasNotícias do ParlamentoPolítica

“Nem na Miguelândia ele tem 45%”, diz Gabriel sobre pesquisa que aponta Miguel a frente de Odacy, Lossio e Lucas

Os números não condizem com que nós vemos, ouvimos, sentimos nas nossas andanças pela cidade

O Vereador Gabriel Menezes (PSL-PE), que vive uma crise interna na legenda e afirma que espera a janela partidária para mudar de partido, afirmou nessa quinta-feira (17/10) que a Pesquisa do Instituto Opinião divulgada no Blog do Magno, que aponta o Prefeito de Petrolina Miguel Coelho, (que vai oficializar ingresso no MDB), com 55,5%, não reflete a realidade da sociedade petrolinense.

Para Menezes, que pretende disputar a prefeitura da Terra dos Impossíveis no ano que vem: “Essa Pesquisa não foi feita na periferia de Petrolina, no interior e nem nas filas das unidades de saúde (…) Eu lamento que os números apareçam dessa forma, pois, os números não condizem com que nós vemos, ouvimos, sentimos nas nossas andanças pela cidade. A coisa é bem diferente”, enumerou o parlamentar acrescentando que ‘pesquisa boa será a de 4 de outubro de 2020’, data da próxima eleição municipal.

Vereador Gabriel Menezes em coletiva à imprensa. Foto: (Jean Brito)

De acordo com a referida pesquisa, o prefeito Miguel aparece com 55,5%, Júlio Lossio – 16,3%, Odacy Amorim – 16,0%, Gabriel Menezes – 7,3%, Lucas Ramos – 4,9%.

Questionado se teria mais força junto ao povo para assumir a cadeira do Palácio Guararapes (Prefeitura de Petrolina) em 2020, e em uma eventual pesquisa popular, se teria mais vantagens em detrimento a Miguel, Gabriel ressaltou que o atual gestor criou uma cidade virtual para maquiar os problemas da cidade e ludibriar a população e alfinetou que.

“Nem na Miguelândia, ele (Miguel Coelho) tem 45%. O prefeito hoje não tem se quer o percentual que ele teve na eleição de 2016, 38,8% (das intenções de voto) ”, pontuou.

Em defesa da pesquisa, o líder da bancada governista na Câmara Municipal de Petrolina, Aero Cruz (PSB-PE), disse acreditar que os números são encorajadores, porém a gestão Novo Tempo não pode reduzir o ritmo de trabalho na cidade. “Na verdade a gente fica muito lisonjeado e feliz com o reconhecimento da população de que Petrolina voltou a ser um canteiro de obras, que os investimentos voltaram a chegar. Isso é reconhecimento de que Petrolina está no caminho certo”.

Por Jean Brito, Notícias de Parlamento

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar