BahiaCultura e TurismoLocal

#OcupaJoãoGilberto: Artistas realizam movimento em defesa do Centro de Cultura João Gilberto

Eles cobram a retomada das obras de recuperação do espaço de responsabilidade do Governo baiano.

JUAZEIRO/BA – Com a palavra de ordem “ É hora de OCUPAR O CENTRO DE CULTURA JOÃO GILBERTO!” artistas de todas áreas estão unidos em Juazeiro/BA, região norte do estado, para com arte, mostrar ao Governo da Bahia que é preciso urgente uma reforma estrutural do equipamento tradicional de fomento à cultural na região do Vale do São Francisco.

O movimento abraçado pelos artistas locais, reivindica uma recuperação urgente da estrutura, com a total recuperação do telhado, revisão na rede elétrica e instalação das poltronas.

Conforme organizadores do #OcupaJoãoGilberto, recentemente em encontro com a Secretaria de Cultura da Bahia, alguns artistas tiveram informações de que a reforma foi parada por tempo indeterminado enquanto está sendo providenciada a parte burocrática, mas sem previsão de datas.

Artistas se reuniram para definir movimento

A notícia está está incomodando a classe artística que estão com suas produções paradas até o final do ano a exemplo de espetáculos teatrais agendados anteriormente para estes meses; festivais de dança, Festival de Teatro Wellington Monteclaro, formaturas. dentre outras programações e não se dispõem de outras alternativas para a demanda existente.

Diante de todos esses esclarecimentos os artistas que fazem parte de todo território cultural do Norte Baiano vem em público pedir que todas as pessoas amantes da cultura, se juntem à essa causa para unir forças na ação de uma  ocupação de dinamização artística.

Depois de uma importante reunião acontecida no último dia 21 de outubro no Centro de Cultura João Gilberto os artista resolveram a partir de domingo levar apresentações artísticas para os espaços do referido Centro de Cultura promovendo com isso um festival de cultura aberto ao público.

A ocupação do Centro vai iniciar no domingo, 27 e, segundo os manifestantes, “não tem data para terminar. Juntos podemos mudar a cena do descaso para com o único espaço cultural do Sertão do São Francisco”, encerra o manifesto.

 

 

 

Redação Portal Tribunna

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar