Política

Após calar na terça, vereador Paulo Valgueiro se manifesta na Casa Plínio Amorim sobre sequestro dos bens do ex-refeito Julio Lóssio na ação que investiga irregularidades no São João de 2012/2013

Vereador aproveita e chama colegas governistas para um desafio

O vereador e líder da Bancada de Oposição Paulo Valgueiro usou a tribuna da Casa Plínio Amorim, na sessão ordinária desta quinta (07), para esclarecer alguns episódios sobre a prestação de contas de 2016, do então prefeito Julio Lossio e sobre o São João do Vale e aproveitou o ensejo para desafiar os vereadores do grupo do Prefeito Miguel Coelho a investigar o São João de Petrolina.

Valgueiro reavivou a memória dos vereadores situacionistas que ao prestar as contas do último ano de gestão do ex prefeito Lossio, a equipe de governo de Miguel Coelho não informou um e-mail institucional da Prefeitura ao Tribunal de Contas, e-mail este que Lossio não teria acesso a quaisquer notificação já que tinha acesso.

“Foi uma surpresa receber pela imprensa a informação de que o TCE teria emitido parecer prévio pela rejeição das contas de 2016, último ano da gestão do Prefeito Julio Lossio, uma vez que o mesmo não foi notificado para apresentar defesa prévia, nem para prestar esclarecimento a respeito desse processo, visando comprovar a regularidade dos atos da gestão.Não vou questionar aqui o papel do Tribunal de Contas, que sempre age dentro dos ditames legais e com a lisura que os processos requerem, mas, pelo que já foi apurado, neste caso, as notificações foram encaminhadas para um e-mail institucional da Prefeitura de Petrolina, que, por algum motivo, não informou ao Tribunal o equívoco nas intimações e tampouco teve a cortesia de repassar ao ex-prefeito Julio Lossio as notificações recebidas, como era feito nas gestões de Lossio, em que os ex-gestores eram informados das notificações recebidas do TCE e de outros órgão fiscalizadores”, frisou Valgueiro.

O vereador detacou também durante o seu pronunciamento que “as contas de 2016 foram prestadas em março de 2017, pela gestão de Miguel Coelho, que certamente, por malícia ou incompetência, deixou de passar ao Tribunal informações e documentos importantes à regularidade das contas”.

De acordo com Valgueiro, o ex-prefeito Julio Lossio vai recorrer ao Tribunal de Contas, inclusive arguindo a nulidade da notificação remetida à Prefeitura e não ao ex-gestor, solicitando a devolução do prazo de defesa, a fim de comprovar a regularidade e legitimidade de todos os atos praticados em sua gestão. “Inclusive, necessário destacar que todas as contas da gestão do ex-prefeito Julio Lossio foram aprovadas pelo Tribunal de Contas”.

Outro tema abordado pelo líder da Bancada Oposicionista foi sobre o processo do São João de 2012 e 2013, o São João do Vale. Valgueiro desafiou o grupo de vereadores a investigar o São João de 2012 para cá.

“Em relação ao Processo Judicial referente ao São João do Vale de 2012 e 2013, que está sendo objeto de muitas postagens na imprensa e nas redes sociais, só tenho a dizer que as partes já foram citadas e seus advogados acionados para elaboração de suas defesas, a fim de demonstrar a lisura dos procedimentos.Todos sabem que em sua gestão o ex-prefeito Julio Lossio trouxe de volta a tradição do São João com um grande evento que incluiu Petrolina na rota nacional do turismo junino, gerou renda e emprego para os petrolinense”, citou em discurso.

Para Valgueiro não é nenhuma novidade, o grupo do prefeito está remoendo essas questões para encobrir as manchetes na imprensa nacional que envolve o senador, o deputado federal e o prefeito de Petrolina, todos de uma mesma família que atualmente se intitula de Força Política. “A nova gestão que se apresenta como paladino da moralidade, apossou-se da ideia, dando continuidade ao festejo, apenas mudando de nome. Aproveito a oportunidade para, mais uma vez convocar vossas excelências e quem mais está aproveitando a notícia do processo para ter seus 15 minutos de fama criticando, acusando e julgando os denunciados no processo, para que me acompanhem aos órgãos competentes para quebrarmos os sigilos de nossas contas, incluindo aqui o sigilo dos envolvidos no processo do São João, para que se demonstre quem enriqueceu com recursos ilícitos”, concluiu Paulo Valgueiro.

Redação Portal Tribunna com ASCOM

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar