Política

Na Bahia, Lula diz que o PT vem forte para 2020, com candidatura própria ou apoiando outros nomes

Ex-presidente participa de reunião da Executiva Nacional da sigla hoje, 14, em Salvador.

SALVADOR – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) fez um discurso hoje (14) no Wish Hotel, no Campo Grande, em Salvador. Durante sua fala, o petista citou o governador Rui Costa e o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad. “Eles não vão conseguir tirar o PT da disputa eleitoral, com Lula ou sem Lula. Eu posso subir a rampa do Palácio da Alvorada com o companheiro Fernando Haddad, com o companheiro Rui”, projetou. Haddad concorreu ao Palácio do Planalto no último ano, perdendo para Bolsonaro. Já Rui, reeleito governador, projeta uma candidato nacional em 2022.

Lula pregou ainda que o Partido dos Trabalhadores busque aprender a contar melhor a história do país. A fala foi dita durante a reunião da executiva nacional da legenda, que ocorre na capital baiana. De acordo com o petista, o partido não compreendeu a importância de enaltecer a história dos heróis brasileiros.

“Esse país nunca teve a sua verdadeira história contada e nossos heróis nunca apareceram em nenhuma fotografia. Todos os nossos heróis tiveram a morte do que chamam morte para sempre. Tinha que matar, cortar a cabeça, jogar em lugares diferentes para nunca se juntar mais. Tivemos isso em revoltas, inclusive na Bahia, com a Revolta dos Malês”, contou.

Lula ainda comentou a importância do PT estar presente nas eleições municipais em 2020. No entanto, ele declarou que, em casos circunstanciais, a legenda pode apoiar um candidato ao invés de apresentar um nome para o pleito. “O PT precisa sair mais forte, mais unido e mais disposto a brigar. Tem gente que fala que vamos polarizar. Sabe quem polariza? Quem disputa o título. O PT polarizou, de 89 até hoje e vai polarizar até 2022. Não existe tradição de político no Brasil como o PT. No país, a tradição é de caciques. Por isso vamos sempre polarizar. Se o PT tiver candidato à altura, ele vai polarizar”, disse.

“Todo ano querem inventar candidato, querem colocar o Caldeirão do Huck e até o Doria. Eles não vão tirar o candidato de 2022 do PT, com Lula ou sem Lula. O PT não nasceu para ser partido de apoio. O PT pode circunstancialmente não ter candidato numa cidade, num estado ou num candidato à presidência. Mas é preciso muita coisa para que alguém possa superar o PT”, finalizou.

 

 

 

 

Com Portal Metro 1

Redação Portal Tribunna 1

redacaotribunadoestado@gmail.com

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar