Política

Sindicato da Construção Civil denuncia irregularidades na segurança de trabalhadores em obras da Prefeitura em Petrolina/PE

Entre os problemas encontrados, o presidente Pedro Portugal aponta contratos de trabalho irregular, falta de equipamentos de segurança, os EPIs e ambientes como banheiros totalmente precários.

O Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil e do Mobiliário de Petrolina (Sinticon) flagrou, no último dia 06, várias irregularidades nas obras executadas pela Prefeitura de Petrolina.

O presidente do Sindicato, Pedro Portugal, afirma que a situação é crítica e semelhante em todas as obras em andamento na cidade. “Pessoal avulso, sem registro em carteira, sem EPI (Equipamento de Proteção Individual), sem condições de higiene e banheiros para os trabalhadores, entre outros problemas encontrados”, disse.

Ainda segundo Portugal, a obra da Orla era pra ser embargada, devido a uma série de irregularidades encontradas.

“Essa obra está aberta ao pedestre, coloca em risco quem transita pelo local, com equipamentos expostos que apresentam grande possibilidade de causar acidentes. Um caos”, afirma o dirigente sindical.

Pedro Portugal chama a atenção dos engenheiros da prefeitura e assegura que as obras públicas de Petrolina estão todas com irregularidades trabalhistas. “Ali tinha que haver uma interdição porque a vida do trabalhador está em risco e de quem trafega por lá também”.

Ao ser comunicado das irregularidades nas obras, o líder da bancada de oposição na Câmara, vereador Paulo Valgueiro, demonstrou sua indignação.  Ele frisa que recebeu com muita preocupação essas denúncias de irregularidade nas obras de responsabilidade do Município de Petrolina, que colocam em risco os trabalhadores e a população.

“É grave perceber que a prefeitura, que é um dos órgãos fiscalizadores da regularidade das obras, que inclusive licencia as obras de engenharia no Município, não dá um bom exemplo.”

Em sua fala, Paulo Valgueiro informou que vai buscar o Ministério Público do Trabalho para garantir a salubridade desses trabalhadores.

“Vamos solicitar que sejas apurados os fatos e tomadas as providências necessárias para garantir condições dignas e lícitas de trabalho. Não é possível aceitar que a gestão do Novo Tempo brinque com a saúde e a segurança dos trabalhadores e da população”, pontuou Paulo Valgueiro.

 

 

Redação com ASCOM

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar