Notícias

Vereadores aprovam orçamento de quase R$ 1 bilhão para Miguel Coelho em 2020

Projeto de Lei Orçamentária Anual (LOA) de Petrolina/PE, contou ainda com emendas de autoria dos vereadores. Texto teve o aval da Comissão de Orçamento e Finanças da Casa Plínio Amorim.

Após mais de cinco horas de sessão e  discussões entre as bancadas de oposição e situação, a Câmara de Vereadores de Petrolina, no sertão de Pernambuco, aprovou no começo da tarde desta terça-feira, 3, a proposta de Lei Orçamentária Anual (LOA) do município e a atualização do PPA (Plano Plurianual). O projeto prevê investimento de cerca de R$ 1 bilhão (precisamento mai de R$ 948 milhões), com 378 emendas que foram apresentadas pelos vereadora ao texto.

A LOA terá um montante de quase R$ 1 bilhão para que o prefeito Miguel Coelho possa gastar no ano que vem, um ano eleitoral. As emendas somaram 378 de autoria dos vereadores para que esse recurso possa ser viabilizado através das sugestões contidas nas emendas á proposta.

Para o vereador Ronaldo Silva, presidente da Comissão de Finanças, a LOA aprovada demonstra mais uma vez que Petrolina é grande. “Maior prova é esse montado aprovado no orçamento”, destacou o presidente. Ainda registraram a importância da matéria o relator do colegiado, vereador Zé Batista e o secretário, vereador Osinaldo Souza.

Algumas das emendas dos vereadores Cristina Costa e Gilmar Santos, do PT, foram para a votação e acabaram rejeitadas pela maioria em plenário. Um dessas emendas foi a do percentual que o prefeito pode remanejar livremente dentro da LOA que veio na proposta, 40% e Cristina apresentou emenda substitutiva para 20%, também negada pela maioria de bancada governista.

“Temos acompanhado essa relação dos executivos com esse percentual de remanejamento e fica difícil para qualquer vereador fiscalizar. Sempre questionei essa tramitação de cheque em branco. Acredito que fiscalizar é papel nosso. Tenho feito reiterados pedidos ao prefeito em que esses 40% vêm sendo investidos, mas as respostas não chegam. E aí falta dinheiro para investir no plano de cargo e carreira do servidor, em educação, em saúde. Infelizmente a bancada do governo é maioria, mas cumprindo o meu papel de legislar, apresentei aqui a emenda para ser apreciada”, pontou a vereadora Cristina Costa que foi questionada pelo vereador Alvorlande Cruz, mas apoiada pelo primeiro vice-presidente da Casa, Ronaldo Souza, PTB (Ronaldo Cancão).

“Parabéns vereador Ronaldo. O senhor é aliado e não enlinhado”, alfinetou a petista, esticando sua fala de apoio ao também situacionista, Ruy Wanderley,

Alvorlande Cruz esclareceu. “Esse projeto da vereadora Cristina Costa só iria atrapalhar o prefeito e quando se posiciona, está jogando contra o povo. Esse requerimento da emenda da vereadora não era mais para passar, pois o projeto com 40% já tinha passado. Foi uma emenda natimorta, pois o projeto tinha sido aprovado”, lembrou o integrante da situação, lembrando que essa emenda de Cristina Costa também prejudicou a emenda do vereador Gilmar que continha a mesma solicitação que seria para reduzir para 20% o remanejamento para Miguel pode trabalhar junto as ações municipais.

O presidente Osório Siqueira lembrou que o requerimento de Cristina cumpriu as prerrogativas legais e a emenda poderia ser submetido ao plenário, conforme o Regimento Interno, uma das polêmicas em plenário neste debate da LOA desta terça-feira.

 

 

Por Notícias do Parlamento/Portal Tribunna

Cinara Marques

redacaotribunadoestado@hmail.com

 

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar