ColunasNotícias do ParlamentoPolítica

Vereadores Gilmar Santos e Cristina Costa negam autoria de ações na justiça sobre suspensão da nova alíquota da previdência de professores do quadro em Petrolina-PE

Os dois integrantes da bancada de oposição na Câmara Municipal, observaram que apenas orientaram grupos de professores que solicitaram apoio para rever nova taxa cobrada sem escalonamento e até de inativos.

Por Notícias do Parlamento

 

Os vereadores do PT de Petrolina-PE, no sertão de Pernambuco, vereadores professor Gilmar Santos e Cristina Costa, negaram que tenham alguma ação judicial para que seja revista a nova cobrança da alíquota previdenciária dos servidores públicos do município, nesse caso de professores aposentados do quadro.

A informação foi publicada aqui no PORTAL TRIBUNNA. A postagem revelou que um grupo de professores conseguiu suspendeu na justiça a cobrança de 14% da taxa previdenciária nos salários dos servidores, entrando nessa conta até os professores e demais funcionários inativos. No mesmo post, colocamos que os vereadores Gilmar e Cristina também tinham ações semelhantes.

Mas, em contato com nossa reportagem, o vereador Gilmar Santos, frisou que não teve nem tem ação de suspensão da nova taxa previdenciária. Ele ressaltou que fez orientações a um grupo de servidores caso fossem questionar a taxa na justiça, colocando sua assessoria jurídica para dar as orientações necessárias.

“Nosso Mandato Coletivo acompanha apenas esses questionamentos e orienta os servidores inativos nesta questão”, completou Gilmar.

Já Cristina Costa, corrigiu a nota, ressaltando que não entrou com nenhuma ação e que foi procurada por alguns professores já aposentados e que tem feito questionamentos sobre o por quê do valor do percentual  e inclusão dos inativos na cobrança.

Ela fez essas solicitação ao Igeprev e ao poder executivo, mas aguarda respostas ainda. “Esse acompanhamento iniciamos antes da suspensão dos trabalhos na Casa”, disse a vereadora.

 

 

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar